Pragas do milho: Larva-arame

Nome científico: Conoderus spp

Os insetos adultos da larva-arame têm o corpo cilíndrico e fino. As larvas medem até 20mm de comprimento, apresentando um corpo rígido e pouco flexível, o que lhes dá o nome popular de “arame”. Os insetos adultos surgem, principalmente, no verão, enquanto as larvas se desenvolvem no inverno e na primavera.

As fêmeas depositam os seus ovos no solo e a larva é, inicialmente, esbranquiçada. Após completamente desenvolvida, torna-se marrom-amarelada. Depois do período larval, a larva-arame transforma-se em uma pupa de cor branca, permanecendo neste estágio por pouco tempo, até emergir o adulto.

Ciclo biológico: os ovos da larva-arame são brancos e esféricos, sendo depositados no solo em massas com 20 a 40 ovos cada uma. Esse ovos medem, em média, 0,5 mm cada um. O estádio larval dura entre 3 e 7 anos.

Reprodução: durante a sua vida, uma fêmea pode depositar entre 200 e 1,4 mil ovos.

Partes da planta afetadas: sementes e raiz

Fase em que ocorre o ataque: após a semeadura

Danos provocados pela praga: Na lavoura de milho, os danos são mais severos em plantações semeadas em áreas de pastagens, já que, neste caso, o solo não costuma ser manejado com frequência, proporcionando uma condição favorável para o desenvolvimento da larva. Os insetos danificam as sementes e o sistema radicular da planta do milho. Os furos são profundos, o que também facilita a entrada de fungos e bactérias. Geralmente, a larva constrói galerias e danifica a base das plantas.

Dicas para o controle da praga: Em áreas que apresentam histórico de ataque da larva-arame, as medidas de controle, como a aplicação de inseticidas, devem ser utilizadas antes da semeadura. O controle da umidade também é um fator importante para o manejo desta praga: a drenagem do solo contribui para forçar a larva a se aprofundar na terra e, logo, reduz-se o dano no sistema radicular da planta.

Comments