Pragas do milho: Larva-angorá

Nome científico: Astylus variegatus

Os adultos desta espécie de praga são besouros que medem cerca de 8 cm, têm coloração amarela e apresentam cinco manchas negras. As larvas são densamente cobertas por pelos marrons e, por isso, recebem o nome comum de “larva-angorá”.

Quando está totalmente desenvolvida, a larva mede cerca de 14mm. Este inseto ataca, principalmente, as lavouras cultivadas em países da América do Sul, como o Brasil, o Paraguai e a Argentina.

A praga é conhecida por atacar vários tipos de plantas cultivadas, sendo considerada uma das pragas do milho. A alta população deste inseto é capaz de causar importantes prejuízos para culturas com sementes, como é o caso do milho.

Ciclo biológico: o período dos ovos dura, em média, de nove a 13 dias. O período larval é longo, podendo demorar até quase um ano. Já o período da pupa dura de nove a 16 dias.

Reprodução: 90 ovos é o que uma fêmea adulta deposita. Os ovos desta espécie, em geral, são colocados em grupos, no solo ou em restos vegetais.

Partes da planta afetadas: sementes e flores.

Fase em que ocorre o ataque: antes da germinação.

Danos provocados pela praga: a larva-angorá ataca as sementes antes da germinação, resultando em uma grande redução na população das plantas. Enquanto as larvas são de vida subterrânea e se alimentam, principalmente, das sementes do milho, os adultos são encontrados, normalmente, nas flores da planta, alimentando-se do pólen e impactando o desenvolvimento do milharal.

Dicas para o controle da praga: a aragem do solo é uma das soluções para controlar a praga, já que isso ocasiona a morte de larvas. O controle químico também deve ser realizado, especialmente em áreas com histórico de ocorrência da praga. Além disso, o tratamento das sementes com inseticidas ajuda a evitar os danos causados pela praga.

Comments