MATOPIBA será beneficiado pelo La Niña

Após os transtornos causados pela seca na última lavoura, finalmente uma boa notícia para a região do MATOPIBA. Diferente dos últimos anos, a região deve receber nessa lavoura (2016/17), volumes de chuva dentro do normal ou acima da média.

Segundo as previsões meteorológicas do Climatempo, a La Niña, fenômeno que acontece com o resfriamento das águas superficiais do Oceano Pacífico, deve começar a influenciar as condições climáticas entre o fim de setembro e o início de outubro. Os meteorologistas também acreditam que a La Niña vai influenciar de forma bastante positiva a produção agrícola na região do Matopiba, formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Ao contrário das últimas safras que foram prejudicadas pelas condições climáticas, a safra de 2016/2017 promete clima favorável. A região deve receber chuva dentro do normal ou acima da média. As chuvas devem chegar ao Matopiba em maiores volumes a partir de dezembro. Como o plantio nas regiões Norte e Nordeste normalmente acontece mais tarde, os produtores serão beneficiados pelos bons níveis de umidade que devem ser registrados após o mês de setembro.

Outro fator meteorológico que deve influenciar a agricultura é a Zona de Convergência do Atlântico Sul (Zcas), que significa períodos chuvosos que ocorrem por cinco dias consecutivos. Essa condição climática é causada por frentes frias que avançam pelo litoral brasileiro.

A Zcas deve atingir os estados de Minas Gerais, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Tocantins e o interior do Pará e Amazônia. Porém, se a zona de convergência ficar posicionada mais para cima, o meteorologista diz que o Sul do Maranhão e o Piauí também poderão receber esse período chuvoso nos meses de verão. O mais importante em anos de La Niña é que causa o espalhamento das chuvas e as temperaturas não ficam tão altas, afirmam os meteorologistas do Climatempo.

Veja também:

Soja: Orientações para o plantio da safra de 2016/17 de acordo com cada estado

Pragas e doenças que vão preocupar na safra de 2016/17

Como proteger o potencial produtivo da soja

Fonte: Successful Farming

Comments