Gestão da informação é primeiro passo para lucrar no agronegócio

A lucratividade é o objetivo perseguido por todo produtor. Mas essa lucratividade depende de uma série de fatores, alguns incontroláveis (como as condições climáticas) e outros controláveis ou pelo menos previsíveis. Entre estes últimos está a gestão das informações, que podemos dizer com certeza, é o primeiro passo para a lucratividade. Porque sem dados corretos, confiáveis e disponíveis a qualquer tempo e em qualquer lugar, a gestão do negócio torna-se muito difícil e trabalhosa, com boa parte dos lucros sendo empregada para custear retrabalho e processos mal planejados ou informações mal gerenciadas.

Como exemplo, temos a questão do controle de pragas. Gasta-se muito com a tecnologia de aplicação – que pode chegar hoje em 50% do custo da produção. Segundo mostra a experiência, a causa do problema é a decisão correta de quando e onde aplicar os defensivos.

O que acontece em função da falta das informações e da consequente desconfiança em relação aos dados é que os gestores acabam decidindo fazer aplicações segundo um modelo preventivo (com pulverizações antes do aparecimento da doença ou praga) ou quando já existe uma infestação em curso – e muitas vezes acima do nível de controle. O problema, em ambas as situações, é que nenhuma delas está baseada na necessidade real da lavoura. Ou seja, acarretam o desperdício dos defensivos, aumentam a resistência das pragas e elevam os custos.

A gestão da informação é, portanto, fundamental para o bom desempenho – e consequentemente, o lucro. Mas para obtermos essas informações com a precisão e a qualidade necessárias, o trabalho de monitoramento deve ser muito bem organizado, com o registro dos dados todos em apenas um lugar, facilitando e agilizando a administração da propriedade.

Com um monitoramento bem planejado e bem feito, pode-se reverter esse quadro, com o trabalho dos técnicos agrícolas treinados para este monitoramento. A tarefa é avaliar visualmente determinada quantidade de plantas em cada talhão, seguindo uma frequência pré-determinada em locais previamente estabelecidos. O objetivo é ter uma amostragem representativa. O próximo passo é a avaliação desses dados, para combiná-los gerando índices de infestação em cada estágio das pragas. Assim ficam claros os locais que precisam de pulverização e também os momentos mais adequados para fazer a aplicação, evitando desperdícios e perseguindo um melhor resultado.

A Embrapa liderou um estudo no Paraná que envolveu 200 produtores de soja e verificou que no manejo de áreas monitoradas, em comparação com áreas não monitoradas, reduziu em 50% o custo com defensivos. Portanto, o monitoramento é fundamental para embasar as decisões, daí a importância dos dados estarem corretos e disponíveis.

Entretanto, não faz diferença se os dados estão corretos se eles ficam espalhados em cadernetas, folhas de papeis e planilhas aleatórias, o que dificulta muito sua avaliação. Assim eles não inspiram confiança na equipe que acaba optando por não utilizar esses registros, o que aumenta o potencial de erros e gera grande carga de retrabalho. Essas informações também perdem seu valor se não chegam em tempo hábil às mãos de quem tem o poder de tomar as decisões: o coordenador, o gestor ou o diretor. Nossa experiência mostra que entre a observação, o registro e a disponibilidade das informações para a diretoria pode existir uma lacuna de até três dias, o que é muito tempo. O ideal é a disponibilidade das informações tão logo forem observadas e registradas.

A gestão das informações, então, começa já no monitoramento: os caminhamentos específicos devem ser seguidos, as informações registradas em um mesmo local em vez de diversas folhas e planilhas desconexas. E segue no processo de registro e avaliação dos dados, com a análise e as tomadas de decisões sendo feitas com base em dados reais.

FARMBOX

Sistemas como o Farmbox são desenhados para agilizar o processo de gestão agrícola, propiciando diversos benefícios tendo, lá na ponta, o aumento da produtividade e o consequente crescimento da lucratividade. A melhora da qualidade das informações vindas do campo gera mais confiança nos dados trazidos pelos monitoramentos. Outro benefício do uso de uma plataforma como a do Farmbox é o melhor posicionamento durante a safra dos princípios-ativos, melhorando o desempenho das lavouras.

Além de produzir as informações agronômicas, o Farmbox possibilita uma interface com dados administrativos e financeiros, o que otimiza a administração da área rural, já que diminui os possíveis erros nas amostragens, permitindo identificar e georeferenciar desde as primeiras ocorrências de pragas. A solução mede a densidade das infestações de maneira muito precisa fornecendo um embasamento sólido para que se possa decidir pela aplicação ou não de defensivos agrícolas na ocasião adequada – o que evita reaplicações e melhora a eficiência. Assim, a partir da gestão correta das informações, sua propriedade terá uma lucratividade muito melhor.

Converse com o pessoal da Farmbox e fique a par de tudo que podemos fazer pela sua fazenda!

Comments