Como combater a Helicoverpa armigera

A Helicoverpa armigeraé uma praga com um alto poder de destruição e causa grandes prejuízos as lavouras de todo o Brasil desde 2012. Sua presença já foi registrada na África, Ásia, Oceania e Europa. No Brasil, sabe-se que a praga chegou por volta de 2012. 

A fase de lagarta da espécie armigera ataca preferencialmente as partes de frutificação das plantas, podendo também se alimentar de partes vegetativas, como folhas e hastes. A Helicoverpa armigera tem alto grau de polifagia (variedades de espécies de partes de plantas que come), ataca várias espécies agrícolas, bem como hospedeiros selvagens. A praga se alimenta mais rápido que outras pragas presentes no Brasil, por isso seu potencial de destruição é grande.

Para conter o avanço da praga, o Ministério da Agricultura definiu as regras para a prevenção, contenção, controle e erradicação da lagarta armigera. Veja abaixo as 8 medidas que devem ser adotadas para combater a Helicoverpa armigera.

1 – Uso de cultivares que reduzem a população da praga

A escolha das variedades deve se basear nas opções disponíveis no mercado que possuam eficiência de controle contra a *Helicoverpa armigera *e outras pragas importantes.

2 – Determinação da época de plantio e restrição de cultivos subsequentes

Recomenda-se efetuar a semeadura das culturas de milho, soja e algodão no menor espaço de tempo possível, procurando obter uma janela de semeadura menor. Este curto período de semeadura é importante para reduzir o período de disponibilidade de alimento para a praga.

3 – Uso de controle Biológico

Liberação de insetos parasitoides e predadores, além de fungos, bactérias e vírus, que atacam a praga, reduzindo sua população.

4 – Adoção de manejo integrado de pragas emergencial

Integração de diferentes tecnologias de controle, mediante identificação das pragas mais importantes, monitoramento, estudo de fatores climáticos, avaliação do desenvolvimento das plantas e danos observados.

5 – Utilizar armadilhas, iscas e outros métodos de controle físico

Considerando as grandes extensões dos cultivos agrícolas brasileiros, o uso de armadilha com isca de feromônio é a técnica de monitoramento mais indicada para a *Helicoverpa armigera, *podendo ser usada também para outras espécies do gênero.

*6 – Vazio sanitário *

Período sem cultivos hospedeiros no campo, definido pelas Secretarias de Agricultura ou Órgãos Estaduais de Defesa Agropecuária. Clique aqui e saiba mais sobre vazio sanitário.

7 – Adoção de áreas de refúgio no plantio

Áreas sem uso de plantas transgênicas com tecnologia Bt, porém da mesma espécie existente no campo, para favorecer o cruzamento entre as populações de pragas expostas e não expostas à toxina Bt.

O refúgio não deve se localizar a mais de 800 metros de distância da área cultivadas com plantas Bt.

8 – Utilizar a rotação de culturas, a destruição de plantas voluntárias e restos culturais.

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Comments