9 dicas essenciais para o estabelecimento da lavoura

Por: Gustavo Zimmer e Paulo Dejalma Zimmer

A semeadura estabelece o potencial máximo de produtividade das lavouras, sendo que as atividades de manejo objetivam apenas protegê-lo. Considerando essa importância e o volume de investimentos envolvidos na sua realização, uma série de cuidados devem ser observados para estabelecer o maior teto de produtividade possível. São eles:

1 – Identifique a cultivar mais adequada a sua lavoura e conheça suas características

O lançamento constante de novas cultivares torna desafiadora a identificação do genótipo mais adequado. Entretanto, ao interagir com os agentes da cadeia produtiva e acompanhar os resultados de ensaios de produtividade é possível identificar cultivares promissoras. A cada ano, o produtor deve testar novas cultivares em pequenas áreas, identificar as mais adequadas e, além disso, conhecer suas particularidades como, por exemplo, a população ideal de plantas e a suscetibilidade à doenças e pragas estabelecendo o melhor programa de manejo para cada uma.

2 - Aproveite as primeiras oportunidades de semeadura

A época de semeadura é um dos principais insumos de uma lavoura. Pesquisadores observaram reduções de até 43 kg/ha por dia de atraso na semeadura na cultura da soja. Em contrapartida, o maior número de cultivos no ano através da safrinha viabilizou economicamente a semeadura ao final ou mesmo fora dos períodos tradicionalmente recomendados. Apesar dessa limitação, o desenvolvimento de planos de logística e gerenciamento da propriedade que compreendam a manutenção e regulagem de implementos e um controle rigoroso da disponibilidade de insumos, permitindo que a semeadura possa ser efetuada na primeira janela climática possível é fundamental. Obviamente, limitações climáticas regionais devem ser observadas e a busca pela antecipação da semeadura não deve comprometer a qualidade dos insumos utilizados ou de sua realização.

3 – Utilize sementes da melhor qualidade possível

As sementes possuem uma série de atributos físicos, genéticos, fisiológicos e sanitários responsáveis pela obtenção de plantas sadias com elevado potencial de produtividade. Ao adquirir sementes de empresas idôneas alguns requisitos de qualidade devem ser garantidos por lei, como a pureza física e germinação mínimos. Contudo, recomenda-se ao produtor sempre exigir a realização de teste de vigor através de metodologia adequada para a espécie. O vigor apresenta relação direta com produtividade, na cultura da soja no intervalo entre 65% e 95% de vigor medidos através do teste de envelhecimento acelerado, pesquisas observaram um incremento de 1 sc/ha a cada 2% de aumento no vigor das sementes.

4 – Use sementes tratadas de acordo as condições da sua lavoura

Através do acompanhamento da lavoura o produtor deve identificar quais são as principais pragas e patógenos que tendem a ocorrer em cada talhão. Em posse dessas informações e com auxílio de consultoria pode ser identificado o tratamento de sementes adequado para cada situação. Além disso, não devem ser realizados tratamentos em subdose pois existem patógenos e pragas cuja única forma de controle se dá através do tratamento de sementes.

5 - Inocule suas sementes com qualidade a cada cultivo

A inoculação permite a simbiose entre o microrganismo Bradyrhizobium japonicum e a soja para a fixação biológica de nitrogênio. Em lavouras já estabelecidas, o microrganismo já está presente e muitos produtores optam por não inocular. Contudo, o incremento no número de microrganismos com elevada vitalidade devido à reinoculação causa aumento significativo na fixação de nitrogênio sendo que uma pesquisa realizada pelo Embrapa encontrou incrementos médios de 4,7% na produtividade devido a reinoculação. Outros cuidados são evitar o uso de inoculantes líquidos em sementes tratadas industrialmente, que pode causar a redução da dose ingrediente ativo, e utilizar tratamentos compatíveis com o inoculante ao realizá-lo na propriedade, que evita a mortalidade dos microrganismos.

6 – Ajuste a população de plantas a cultivar selecionada e as características de sua lavoura

Embora trabalhos acadêmicos não tenham encontrado diferenças de produtividade para populações entre 200 e 400 mil plantas/ha para soja, reduções de produtividade decorrentes de excessos na população de plantas são comuns, especialmente nos talhões mais férteis da lavoura e semeaduras no início do período recomendado. Altas populações estimulam o crescimento excessivo causando acamamento e a senescência das folhas inferiores, as quais recebem pouco tratamento se tornando focos de pragas. Consequentemente, a redução da área foliar acarreta na redução da produtividade de grãos. Populações elevadas devem ser utilizadas nos talhões menos férteis ou no caso de semeaduras tardias visando proporcionar maior estabilidade produtiva.

7 – Preze por uma semeadura de precisão e acompanhe com métricas

A importância da precisão da semeadura é bastante valorizada no milho, mas, de modo geral, não são tomados os mesmos cuidados para outras culturas como a soja, por exemplo. A plasticidade de algumas espécies leva o produtor a minimizar a importância da qualidade de distribuição das sementes. Contudo, pesquisas demonstram que para a cultura da soja a cada centímetro de um metro de linha ocupado por falhas pode significar em reduções de 34 kg/ha na produtividade, o qual não será compensado pela plasticidade da cultura. A ocorrência de múltiplos causa menor redução na produtividade, no entanto, causa acamamento e senescência prematura das folhas inferiores. Durante a semeadura, além de avaliar o número de sementes por metro deve-se avaliar a amplitude das distâncias entre essas sementes, identificando as causas de variação e corrigindo-as.

8 – Cuidado com a adubação na semeadura

A adubação fosfatada deve ser realizada concomitantemente a semeadura em virtude da baixa mobilidade do fósforo no solo, contudo, sempre que possível deve se optar pela aplicação de cloreto de potássio de forma parcelada após a semeadura. Essa prática, diminui perdas devido a ocorrência de chuvas excessivas e previne a salinização da linha de semeadura que reduz a germinação e emergência das plântulas.

9 – Prepare e acompanhe o trabalho do operador de máquinas sempre que possível

O planejamento da lavoura e toda a logística de preparação para a semeadura podem ser desperdiçados se os operadores de máquinas não estiverem em sintonia com tais cuidados. O operador deve conhecer e valorizar a importância de cada atividade desempenhada na semeadura visto que os erros cometidos nesta etapa irão acarretar em perdas significativas no potencial de produtividade e serão prontamente expostos à medida que as plantas começam a emergir.

Veja também:
8 passos para melhorar o manejo de pragas

EBOOK GRATUITO - Etapas para o plantio de sucesso

Comments